Ensino, Pesquisa e Extensão

Consciente de seu papel social, a Emeron pretende atuar voltada para a socialização de saberes teóricos, práticos e comportamentais, visando ao desenvolvimento das potencialidades dos indivíduos para se constituírem cidadãos participativos, corresponsáveis nos processos de transformação da gestão pública e da sociedade. Logo, assume a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão como fundamento para sua atuação. Isso implica dizer que, além do currículo específico dos cursos, é preciso que se oportunize, mediante eventos de natureza científica, tecnológica e cultural, a ampliação de suas ações tanto interna quanto externamente, sempre considerando a satisfação das necessidades da comunidade na qual está inserida.

Para isso, a Emeron parte do entendimento de que o currículo é o instrumento que viabiliza o processo ensino-aprendizagem, devendo, portanto, ser dinâmico, atualizado, contextualizado e significativo, voltado para a realidade. Deverá, ainda, favorecer a formação de um sujeito criativo que pesquisa e participa ativamente na construção do seu conhecimento.

Ora, tal entendimento remete à indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão como orientação aos projetos da Emeron, e que declara a intenção de um ensino transformador, democrático e que respeite as individualidades, que tem como alvo a formação do sujeito em todas as suas dimensões para que, assim, esse sujeito possa posicionar-se como suporte de si mesmo e exercer sua condição de cidadão.

Para a Escola importa compreender que o ensino é bem mais que compartilhar saberes já produzidos, que professor e aluno são sujeitos ativos no processo ensino-aprendizagem, que o espaço acadêmico é para produção de novos saberes, que as relações que se estabelecem ali são marcadas pela ação crítica e criadora, e que o exercício da investigação e da pesquisa devem ser incorporados como prática, tanto no processo pedagógico quanto nos processos de realimentação do trabalho docente.

Para tanto, a Emeron fundamenta sua atuação em ensino, pesquisa e extensão no humanismo e na visão de tecnologia como construção social, tendo como diretriz:

  • Construir coletivamente os referenciais teórico-metodológicos para que o trabalho pedagógico supere a prática espontaneísta.
  • Envolver professores e alunos na busca de melhorias no processo ensino-aprendizagem, mediante a prática do planejamento e da avaliação coletiva.
  • Realizar o acompanhamento dos processos pedagógicos, de modo a instigar os profissionais à inovação pedagógica.
  • Garantir condições de infraestrutura adequadas à realização do trabalho pedagógico.
  • Envolver os alunos nas atividades de pesquisa e de extensão na perspectiva de ampliar o espaço educativo.
  • Incentivar ações voltadas à formação de educadores.
  • Promover a formação continuada dos profissionais da instituição, para que sejam instigados a realizar atividades de pesquisa e de extensão.
  • O currículo deve expressar a pluralidade cultural existente na sociedade.
  • As atividades curriculares devem proporcionar a análise interpretativa e crítica das práticas sociais.
  • O estudo e a reflexão sobre currículo devem constituir uma prática inerente à dinâmica acadêmica.
  • Fortalecer a interação entre a sociedade e a instituição.
  • Buscar a integração com organismos e instituições públicas e privadas com vistas à conjunção de esforços almejando a transformação do meio e da sociedade pautadas nos valores éticos e morais do país.