Realizada entre os dias 28 e 29 de janeiro, a primeira turma da Oficina Pedagógica do Curso de Especialização Lato Sensu em Direito para a Carreira da Magistratura (EDCM), oferecido pela Escola da Magistratura do Estado de Rondônia (Emeron), foi finalizada com a elaboração de diretrizes para o sistema avaliativo da pós-graduação. Voltada a membros do Tribunal de Justiça de Rondônia que atuam como docentes da EDCM em Porto Velho e na subseção da Emeron em Ji-Paraná, a oficina terá uma segunda turma em fevereiro.

A formação ocorre todos os anos com a finalidade de atualização e alinhamento dos professores ao curso, bem como para difundir práticas e propiciar o aperfeiçoamento didático dos docentes participantes, sensibilizando-os para uma participação ativa nas atividades propostas em prol de um ensino baseado na transdisciplinaridade, na perspectiva da formação docente e da elaboração do conhecimento. Essa preocupação com a formação do docente visa prepará-lo para as situações de ensino e aprendizagem que vivenciarão em sala de aula, a fim de que atuem em consonância com o projeto pedagógico da Escola, possibilitando o desenvolvimento profissional dos discentes, tanto na preparação para a magistratura como para a efetiva prestação dos serviços jurisdicionais.

Ministrada pela pedagoga Hélia Rocha, a formação buscou fazer um diagnóstico atual da especialização, avaliando os métodos ativos e a organização do trabalho pedagógico em sala de aula. “Essa oficina teve dois grandes objetivos: reunir os professores para uma reflexão pedagógica do que tem sido feito dentro do curso e trazer alguns elementos novos para uma revisão desse curso, revisitando a avaliação da aprendizagem, alinhando o sistema avaliativo à proposta curricular por competência”, diz Hélia. Ela explica que, para ter uma avaliação por competência, um dos pressupostos é decompor a matriz curricular em uma matriz de referência, onde elencam-se competências, habilidades e descritores, que apontam os objetivos das aulas e alimentam a avaliação da aprendizagem: “Foi isso que fizemos nesses dois dias, fechamos a oficina com os professores propondo cada um a configuração da matriz de referência da sua disciplina, o que vai compor a matriz de referência do curso”.

Além de propor essas melhorias para o novo ano letivo, a serem consolidadas até 2020, a oficina revisou os planos de ensino das disciplinas dos professores participantes, com foco no currículo por competências e habilidades a serem trabalhadas com os alunos, bem como nas estratégias de ensino. “Esse grupo de professores – e isso vai se repetir em fevereiro para o outro grupo – já deixou registrado no AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) o seu planejamento para 2019”. Por fim, Hélia aponta o caminho para remodelar o curso como um todo: “Fizemos metas de modificação para entrar no Conselho Estadual de Educação com uma nova proposta de curso no ano que vem, mais moderno, mais atual”.

As propostas de diretrizes para o sistema avaliativo do curso foram construídas coletivamente no último dia da oficina e serão testadas ao longo do ano, para depois serem submetidas à aprovação do Conselho. Para a juíza Inês Moreira da Costa, o resultado foi excelente, “porque permite que a gente reflita sobre a matriz de referência, aquilo que será abordado com os alunos em sala numa nova perspectiva, o que a gente quer trabalhar com eles, qual o resultado prático disso”. Ela diz que foi muito produtivo concluir tanto a matriz de referência como o plano de ensino: “É algo que a gente tem que estar sempre se atualizando, e o que a professora Hélia trouxe é bem atual, novas formas de aprendizado, formas de avaliação, então permitiu essa revisão dessas matrizes que são muito importantes”, conclui.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Emeron

Permitida a reprodução mediante citação da fonte Ascom/Emeron

Acompanhe-nos nas redes sociais: twitter.com/emeron_rondonia e facebook.com/EmeronRO

Poder Judiciário de Rondônia
Escola da Magistratura
Rua Tabajara, 834. Bairro Olaria. CEP 76.801-316
emeron@tjro.jus.br
(69)3217-1066