Na sexta, 15, o segundo dia do Encontro de Magistrados(as) e Servidores(as) do Poder Judiciário de Rondônia encerrou com reflexões sobre saúde mental e a vida pós-pandemia. A programação contou com duas palestras, uma delas ministrada pelo psicólogo Rossandro Klinjey, que finalizou o evento para falar sobre “Os efeitos na saúde e no mundo pós-pandemia”.

O evento iniciou com a apresentação do relatório da Política e Levantamento de Saúde Integral, feita pelos servidores do Departamento de Desenvolvimento de Carreiras e Saúde, Alex Castiel Barbosa e Rosana Ramalho Feitosa.

O psicólogo Rossandro Klinjey foi um dos palestrantes do evento

Esta é a segunda edição do Encontro, cuja premissa é debater a saúde nas relações de trabalho e familiares. Além das palestras, a Divisão de Saúde do TJRO apresentou a gama de projetos destinados à saúde do(a) magistrado(a) e servidor(a). Na programação também foram incluídas apresentações artísticas. O servidor Marcos Alexandre Santana, da Comarca de São Francisco do Guaporé, aprendeu a tocar saxofone durante a pandemia e compartilhou o novo conhecimento durante o evento. A composição original “Além de mim”, do psicólogo Roberth Araújo, de Santa Luzia D'Oeste, finalizou a parte cultural do evento.

O psicólogo Marcos Paulo Soares da Silva, da Seção de Desempenho e Desenvolvimento de Gestores e Servidores, também falou sobre Saúde Organizacional para os(as) magistrados(as) e servidores(as) que acompanhavam o evento.

Servidor Marcos Alexandre, de São Francisco do Guaporé, em apresentação no Encontro

Saúde mental integrativa

A seguir, a psicóloga Denise Tofani Malheiros e o psicólogo Leandro Aparecido Fonseca Missiatto apresentaram painel sobre o “Movimento do bem viver: por uma saúde mental integrativa”. Abordaram a importância de buscar um bem viver para si mesmo, em um movimento de se tratar como melhor amigo. “O bem viver trata-se de viver em harmonia, em cooperatividade, afirmando diferenças e aceitando a pluralidade”, pontuou o psicólogo Leandro Missiatto.

A ancestralidade do sujeito também foi um dos pontos da palestra. Segundo os psicólogos, ao entender a conexão herdada pelos ancestrais, a vida se torna mais leve e respeitosa, pois a sabedoria dos antepassados auxilia na vida pessoal e profissional. “Além disso, é preciso, também, trabalhar a nossa comunicação, pois não basta ter essa bagagem, é preciso trabalhar o contato com as outras pessoas. Às vezes tem atrito, pois a minha ancestralidade pode ser diferente da sua. Mas cresce-se muito ao ouvir o outro para modular as minhas relações”, acrescentou Denise Tofani.

Segundo os profissionais, a comunicação torna público aquilo que acontece no âmbito da experiência, materializando os sentimentos experimentados. “Isso faz com que criemos redes de conexão”, concluiu Missiatto, que falou também sobre a importância do autocuidado.

Psicóloga Denise Tofani e o psicólogo Leandro Missiatto falaram sobre saúde integral

Mundo pós pandemia

Na palestra “Os efeitos na saúde e no mundo pós-pandemia”, o psicólogo Rossandro Klinjey falou sobre as mudanças que acontecem após períodos históricos marcantes, a exemplo da Gripe Espanhola e da Segunda Guerra Mundial, colocando a pandemia de Covid-19 neste contexto. Pontuou que voltar para o “normal” gera um estresse de adaptação.

Isso porque, segundo o psicólogo, na pandemia, além das pessoas voltarem para suas casas físicas, também se voltaram para suas “casas internas” e, nesse encontro, foram descobertas coisas não desejadas. “Muitos aproveitaram o deserto da pandemia para se reconectar com o sagrado e perceberam o valor das pequenas coisas. O resultado da felicidade não tem a ver com a conquista material, mas diz respeito ao viver com as pessoas. A vida é um eterno convite para novas experiências”, disse.

A dor de ressignificar o luto durante a pandemia também foi abordada por Rossandro. “Ao pensar que você nunca viajará com aquela pessoa querida que partiu, viaje. Vá ao local e, quando estiver lá, feche os olhos e diga: ‘Estamos aqui’ porque vocês estão”, exemplificou. O momento foi de consternação. Magistrados(as) e servidores(as) lembraram de colegas e familiares que faleceram em decorrência da pandemia.

Encerramento

O corregedor-geral da Justiça de Rondônia, Valdeci Castellar Citon, encerrou o Encontro. Ele agradeceu a presença de todos(as) e a organização do evento, que contou com o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO), Escola da Magistratura de Rondônia (Emeron), Associação dos Magistrados de Rondônia (Ameron) e Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Rondônia (Sinjur).

“Um dos objetivos deste encontro foi abrir caminhos para esses novos aspectos da saúde, possibilitando a implantação de uma política de saúde integral da pessoa no TJRO. Espero que este encontro tenha contribuído para a transformação de todos nós”, disse o corregedor.

Encontro de Magistrados(as)

O Encontro de Magistrados(as) e Servidores(as) do Poder Judiciário do Estado de Rondônia foi transmitido pelo canal da Emeron, no YouTube, nos dias 14 e 15 de outubro, de forma gratuita. O evento integra o programa “Humanização Organizacional” do Plano de Gestão da Corregedoria para o biênio 2020-2021, e tem como objetivo discutir temas de natureza interdisciplinar que possam conduzir à reflexão do impacto das transformações sociais e da carreira na saúde dos(as) servidores(as) e magistrados(as), com ênfase à saúde integral da pessoa em seus aspectos físico, mental, familiar, social e espiritual, com vistas aos problemas que afetam o desempenho e a relação de trabalho, vez que as exigências da profissão impactam diretamente na qualidade de vida e das relações interpessoais.

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional

Permitida a reprodução mediante citação da fonte

Acompanhe-nos nas redes sociais: instagram.com/emeron_oficial, twitter.com/emeron_oficial, facebook.com/emeron.oficial e youtube.com/EscolaEmeron

Poder Judiciário de Rondônia
Escola da Magistratura
Av. Rogério Weber, 1872, Centro. CEP 76801-906
emeron@tjro.jus.br
(69)3309-6440