Após as lives realizadas na primeira quinzena de setembro, o canal da Escola da Magistratura do Estado de Rondônia (Emeron) no YouTube (youtube.com/EscolaEmeron) ultrapassou as mil inscrições. A marca foi atingida em pouco mais de dois meses desde que a Escola iniciou a realização, no formato de live, das ações educacionais a distância de ordem técnica, gerencial e comportamental, autorizadas pela instrução n° 2/2020, publicada em junho.

Nos dias 3 e 4 de setembro, ocorreu o ciclo de palestras Entenda seu Contracheque, destinado a servidores do Tribunal de Justiça de Rondônia. Ministradas por Jesiel Souza, chefe da Seção de Planejamento Orçamentário de Pessoal e Controles do TJRO, as lives de duas horas cada mostraram o detalhamento do contracheque e a demonstração de como realizar os cálculos que compõem as receitas e os descontos, desde adicionais como os de insalubridade e periculosidade, até o imposto de renda.

“O objetivo dos encontros foi identificar as verbas permanentes e não permanentes, calculando os valores referentes a férias, gratificações, substituições, adicionais, retroativos de progressão funcional, IR e Iperon, deixando os servidores aptos a calcular margem de consignação para empréstimo e estimar vencimentos após reajustes ou alterações na estrutura salarial”, disse Jesiel, que é mestre em Matemática e trabalha com a folha de pagamento dos servidores desde 2006. Ao final, o ministrante respondeu às perguntas do público. Além da certificação aos participantes por meio de inscrição prévia, as lives permanecem disponíveis para visualização posterior, no canal do YouTube.

Mediação

Na última quinta-feira, 10, foi realizado o fórum Mediação de Conflitos: Experiências e perspectivas, com a participação de um magistrado e servidoras do TJRO. Assim como no ciclo de palestras, a atividade foi mediada pela assessora de comunicação da Emeron, Neuma Oliveira. Aberto ao público, o fórum virtual abordou o conceito de mediação de conflitos, a importância da mediação e seus desafios atuais.

A primeira a falar foi a psicóloga e mediadora judicial Carla Rodrigues, do Setor de Mediação, Conciliação e Terapia Familiar do Serviço Psicossocial de Apoio às Varas de Família do TJRO. Ela tratou da história da mediação na vara de família, iniciada em 2012. “Fomos os precursores da mediação aqui no tribunal, a partir do aumento da equipe de psicólogos, reestruturação do setor e primeiros cursos na área”, disse Carla.

A seguir, Vitória Lima Alexandre, supervisora dos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), falou sobre a necessidade cada vez maior de métodos adequados de solução de conflitos no judiciário, em razão do grande número de demandas diariamente. “Foi divulgado em 26 de agosto o relatório do Conselho Nacional de Justiça sobre os números de 2019, e o TJRO é disparado o tribunal com mais processos proporcionalmente, uma média de 17 mil para cada 100 mil habitantes, portanto precisamos incorporar cada vez mais os métodos que propiciem eficácia, celeridade e um tratamento mais humanizado, e a mediação preenche todos esses requisitos”, pontuou Vitória.

Solange Aparecida da Silva, advogada e presidente da Comissão de Métodos Adequados de Solução de Conflito e de Direito Sistêmico da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil em Rondônia (OAB/RO), destacou o advento da Lei de Mediação e do novo Código de Processo Civil, que incentivaram o método a partir de 2015. “O Conselho Federal da OAB também formalizou o Pacto Nacional da Advocacia pelos métodos extrajudiciais de solução de conflito, pois a presença do advogado na mediação é fundamental em todas as suas fases, mas ainda precisamos formatar a advocacia para que ela esteja pronta a melhor assessorar nisso”, frisou Solange.

Em seguida, Isabela Paludo, também psicóloga e mediadora judicial do Setor de Mediação, Conciliação e Terapia Familiar, salientou que o futuro da mediação é sair das quatro paredes: “É transpor para a comunidade, para a mediação escolar, como chegar ao local onde acontecem os conflitos e até antes”. Isabela destacou ainda a importância de ferramentas complementares, como a Comunicação Não-Violenta.

Por fim, o juiz dos Juizados Especiais do TJRO, Johnny Clemes, doutor em Ciência Política e professor da Emeron, fez uma apresentação sobre as formas de trabalhar e repercutir a mediação. “Os métodos adequados nos fizeram ampliar a visão e poder perceber que o mundo e as nossas vidas podem ser bem melhores, essa área acaba sendo quase uma filosofia de vida, pois ela busca um comportamento e nova visão para o ser humano”. Os ministrantes então dialogaram e tiraram as dúvidas do público.

Eleições

Nesta segunda, 21, às 14h (hora de RO), acontecerá o próximo fórum ao vivo no YouTube da Emeron, intitulado “Eleições em tempos de pandemia”. Aberta ao público geral, a live reunirá os desembargadores do TJRO Miguel Monico Neto, diretor da Emeron, e Marcos Alaor Diniz Grangeia, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, além dos convidados Francielle Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência da República, e o professor espanhol Rubén Miranda Gonçalves, com mediação do juiz do TJRO Arlen Souza. As inscrições estão abertas no menu Inscrições do site da Escola (emeron.tjro.jus.br) e o evento terá certificação de 2 horas-aula.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Emeron

Permitida a reprodução mediante citação da fonte Ascom/Emeron

Acompanhe-nos nas redes sociais: instagram.com/emeron_oficial, twitter.com/emeron_rondonia, facebook.com/EmeronRO e youtube.com/EscolaEmeron

Poder Judiciário de Rondônia
Escola da Magistratura
Rua Tabajara, 834. Bairro Olaria. CEP 76.801-316
emeron@tjro.jus.br
(69)3309-6440