Uma comemoração animada pela inspiração musical de jovens negros, oriundos de favelas do Rio de Janeiro, marcará o aniversário de 28 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente em Porto Velho. O projeto Orquestra de Rua será realizado de 6 a 10 de agosto pelo 1º Juizado da Infância e da Juventude da Comarca de Porto Velho, para incentivar ações que garantam às crianças e adolescentes o direito à cultura previsto no Estatuto.

Movido pela necessidade, um grupo de jovens com idade entre 18 e 20 anos, que iniciou seus estudos na música por meio de projetos sociais, usou a criatividade para colocar cultura musical nas ruas. Eles tocam violino, violoncelo e viola. Um dia, após apresentação musical, estavam com fome e sem dinheiro para o lanche. Foi aí que, sem saber, criaram novas oportunidades para os seus destinos, ao pegar seus instrumentos, tocar na rua e arrecadar o suficiente para a pizza e se transformarem na Orquestra de Rua.

O Projeto Orquestra de Rua - Celebração dos 28 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente tem uma programação que pretende proporcionar aos alunos de escolas públicas de Porto Velho, adolescentes em cumprimento de Medidas Socioeducativas, suas famílias e servidores, assim como a acadêmicos dos cursos de Serviço Social e Psicologia, momentos de reflexão sobre a importância da arte e da cultura no processo educativo e socioeducativo de crianças e adolescentes, em especial aqueles em situação de vulnerabilidade social e incluídos no Sistema Socioeducativo.

Durante a semana das comemorações, ações conjuntas da Orquestra de Rua com o Grupo Minhas Raízes, do Distrito de Nazaré, formado por jovens da região ribeirinha do baixo Madeira, estão programadas e os organizadores garantem cativar o público: “Temos milhares de crianças que jamais viram ou ouviram um violino. A música nos move e desperta algo em nós que sequer sabemos que está lá”, afirma o secretário-geral do TJRO, juiz Sérgio William Domingues Teixeira.

A programação inclui apresentações no jardim do Juizado da Infância e da Juventude, auditório do TJRO e escolas públicas de Porto Velho. O projeto é uma realização do Poder Judiciário de Rondônia, por meio da Escola da Magistratura do Estado de Rondônia (Emeron).

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional

Permitida a reprodução mediante citação da fonte Ascom/Emeron

Acompanhe-nos nas redes sociais: twitter.com/emeron_rondonia e facebook.com/EmeronRO

Poder Judiciário de Rondônia
Escola da Magistratura
Rua Tabajara, 834. Bairro Olaria. CEP 76.801-316
emeron@tjro.jus.br
(69)3309-6440